Fundo SBRPI - Sociedade Beneficente Recreativa Princesa Isabel

Área de identificação

Código de referência

BR SPAEL SBRPI

Título

Sociedade Beneficente Recreativa Princesa Isabel

Data(s)

  • 1952-2015 (com lacunas) (Produção)

Nível de descrição

Fundo

Dimensão e suporte

2.552 documentos: 2.545 textuais e 7 iconográficos.

Área de contextualização

Nome do produtor

(1952-)

História administrativa

No dia 9 de julho de 1952, reuniu-se na sede do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) de Batatais, um grupo de homens e mulheres negros e negras para a fundação de uma associação recreativa e beneficente destinada aos “homens de cor”, dando início a Sociedade Beneficente Recreativa Princesa Isabel. Apesar da destinação a um público específico, a Sociedade aceitava a presença de todos que tivessem interesse em suas atividades, tendo surgido como resposta aos clubes contemporâneos que não aceitavam negros em suas sedes. A princípio, as reuniões aconteciam em um salão de bailes alugado da cidade, mas já havia um interesse em ter uma sede própria, cuja construção foi concluída em 1962, financiada com o pagamento de mensalidades, doações e investimento privado. As festas, bailes e desfiles de carnaval (com a Escola de Samba da Princesa, fundada em 1955) contavam com grande comparecimento dos sócios, o que coloca a Sociedade em destaque na cidade. Em 14 de setembro de 1958, foi fundada a Biblioteca José do Patrocínio da Sociedade Recreativa Beneficente Princesa Isabel, o que demonstra a preocupação da Sociedade com a instrução de seus sócios. Além dessas preocupações internas, a Sociedade se relacionava com outras associações da cidade, como é possível perceber na expressiva documentação a respeito do “I Jogos Interclubes de Batatais”, que visava promover a integração e a recreação entre diferentes grupos. Além disso, o próprio fato de sua documentação ter sido depositada na sede do Sindicato dos Metalúrgicos em Batatais, demonstra uma relação interessante entre a Sociedade Princesa Isabel e os trabalhadores da cidade. A Sociedade continua em atividade até o presente e, além das atividades recreativas como festas e bailes, conta também com um núcleo de ensino – Núcleo de Aprendizado Princesa Isabel –, com atividades voltadas a jovens e adultos.

Entidade custodiadora

História do arquivo

Os representantes digitais da documentação foram adquiridos no âmbito do projeto Fapesp “As Cores da Cidadania: os clubes negros do estado de São Paulo (1897-1952)”, desenvolvido pelo Cecult/IFCH/Unicamp entre setembro de 2017 e janeiro de 2020. O projeto teve como objetivos investigar aspectos do associativismo negro, bem como as formas de atuação e organização autônoma de homens e mulheres daquele grupo social frente ao preconceito e discriminação raciais enfrentados em diferentes contextos. Nesse sentido, foi feito contato com as seguintes associações do interior do estado de São Paulo: Sociedade Beneficente Treze de Maio (Piracicaba), Grêmio Recreativo Familiar Flor de Maio (São Carlos), Sociedade Cultural e Beneficente 28 de Setembro (Sorocaba), Sociedade Beneficente Recreativa Princesa Isabel (Batatais) e Corporação Musical Campineira dos Homens de Cor (Campinas). As associações que concordaram em integrar o projeto assinaram um Termo de Empréstimo Temporário de seu acervo, para que seus documentos pudessem ser transferidos ao AEL, onde foram higienizados, restaurados, organizados arquivisticamente, digitalizados e embalados para serem, então, devolvidos às respectivas instituições. Complementando o projeto, foi recebido como guarda definitiva parte do acervo reunido por Benedito Evangelista (1902-2000), um dos membros fundadores da Federação Paulista dos Homens de Cor, da cidade de Campinas.

Procedência

Doação do Centro de Pesquisa em História Social da Cultura (Cecult) em 2019.

Área de conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

O fundo reúne documentação referente ao funcionamento e atividades da Sociedade Beneficente Recreativa Princesa Isabel, tais como estatutos, registros de eventos, inscrição de novos associados, atas de reunião, contratos de trabalho, entre outros. O volume maior da documentação se refere à parte financeira e de recursos humanos.

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Não são esperadas novas incorporações.

Sistema de arranjo

O conjunto documental foi organizado em sete grupos: 1) Organização e funcionamento, 2) Associados, 3) Comunicação, 4) Correspondência, 5) Recursos Humanos, 6) Finanças e 7) Patrimônio, com seus respectivos subgrupos, séries e subséries.

Área de condições de acesso e uso

Condições de acesso

Com restrição: em processo de digitalização.

Condiçoes de reprodução

É permitida a reprodução (cópia parcial ou integral) dos documentos do acervo do AEL mediante a assinatura do termo de responsabilidade. No caso de uso de direitos autorais e de imagem consulte a LDA - n. 9.610/98 e outras legislações pertinentes.

Idioma do material

  • português do Brasil

Script do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de descrição

Área de documentação associada

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Reproduções dos documentos encontram-se disponíveis no repositório digital do Arquivo Edgard Leuenroth.

Unidades de descrição relacionadas

Consulte também no AEL outros conjuntos documentais provenientes de clubes e associações negras: Corporação Musical Campineira dos Homens de Cor, Grêmio Recreativo Familiar Flor de Maio, Sociedade Beneficente 13 de Maio e Sociedade Cultural e Beneficente 28 de Setembro.

Descrições relacionadas

Área de notas

Nota

Veja também o vídeo “Histórias da Sociedade Beneficente Recreativa Princesa Isabel - Batatais”, produzido pelo Núcleo de Aprendizagem Princesa Isabel (NUAPI), com depoimento de Paulo Roberto (Paulinho Mirandinha), disponível em: https://www.youtube.com/watch?app=desktop&v=ill_JSphJ-4.

Identificador(es) alternativos

Pontos de acesso

Pontos de acesso de assunto

Pontos de acesso local

Ponto de acesso nome

Pontos de acesso de gênero

Área de controle da descrição

Identificador da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Descrição baseada em: CONSELHO INTERNACIONAL DE ARQUIVOS (CIA). ISAD (G): Norma Geral Internacional de Descrição Arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2001.

Status

Final

Nível de detalhamento

Completo

Datas de criação, revisão, eliminação

01/2020 (criação)
04/2022 (revisão)

Idioma(s)

Sistema(s) de escrita(s)

Fontes

Nota do arquivista

Conjunto documental organizado por Jéssica Cristina Rosa, Gabriel Antonio Bonfim Seghetto e Gisele de Oliveira Bezerra, bolsistas SAE/Unicamp e de Treinamento Técnico da Fapesp, sob orientação de Lívia Cristina Corrêa, Tainá Guimarães Paschoal e Sílvia Rosana Modena Martini, técnicas da Seção de Processos Técnicos e Atendimento do AEL. Descrição arquivística elaborada por Jéssica Cristina Rosa e Tainá Guimarães Paschoal.

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Pessoas e organizações relacionadas

Gêneros relacionados

Lugares relacionados